Minha experiência em 30 dias de Dieta Paleo [Pt]

paleonhacHábitos alimentares fazem inevitavelmente parte de nossas vidas, e no melhor estilo “você é o que você come”, descobri que eliminar açúcar e grãos pode fazer milagres! Depois de um mês em estilo de alimentação Paleo AIP, venho aqui registrar os resultados. De quebra, vou deixar alguns links de referência para quem se interessar e quiser se informar e tentar também.

Eu sempre fui uma criança muito doente e alérgica. Lembro quando eu tinha uns 6 anos de idade e na minha casa tínhamos uma lista enorme presa na geladeira de coisas que eu não poderia comer. Com o tempo eu fui crescendo, me exercitando e ficando gradativamente mais saudável, e apesar de não sentir os efeitos diretamente, os efeitos do que eu comia me assombraram pra sempre. Nunca fui gorda, mas também não era lá uma pessoa muito saudável. Aos 14 anos eu descobri que tinha Psoríase. Aos 18 comecei acompanhamento com nutricionista. Aos 19 desenvolvi tendinopatite patelar. Aos 20 descobri que era intolerante à lactose. Aos 22 parei de praticar esportes já que as juntas não aguentavam mais, e ouvi do meu médico que tenho ligamentos frágeis e não posso fazer nada. Aos 24 me mudei de país e tive que me adaptar a todo um espectro de alimentos diferente, que incluiu ganho de peso, perda de massa magra, alguns meses de ovo-vegetarianismo e uma depressão concomitante. E, finalmente, esse ano, descobri a dieta Paleolítica e o Protocolo Auto-imune e tive os resultados mais surpreendentes.

Desde que comecei o acompanhamento com nutricionista, mantive minha alimentação o mais funcional possível, e com o tempo fiz alguns cursos básicos de nutrição, e aprendi tudo o que pude para manter hábitos saudáveis. Ainda assim, sofria de retenção de água, alguma flacidez localizada, gorduras localizadas “permanentes”, fora as dores nos joelhos e em outras articulações, e resultados travados na academia. Comia religiosamente de 3 em 3 horas, sentindo fome uma hora depois de cada refeição, sempre pensando no lanche que tenho que levar comigo, quantas proteínas e quantas fibras ele vai ter, e mal humorada a qualquer sinal de fome. E então tive alguns episódios de reação alérgica a pimenta (nunca aconteceu antes), e um extremo mal estar depois de um dia de açúcar extra.

paleocomida

Então esse ano eu resolvi que ainda estou fazendo algo errado. Fui pesquisar. Pouco a pouco descobri que Psoríase tem tratamento com mudança de hábitos alimentares. Que glúten contribui para processos inflamatórios e auto-imunes. E, finalmente, cheguei na dieta Paleo. Pesquisei e li bastante, tentei ter o máximo de embasamento científico possível, e descobri que existe uma variação de dieta Paleo ainda mais restritiva, o Protocolo Auto-imune. É uma dieta de eliminação que visa curar e restaurar a saúde do trato intestinal e do corpo para possibilitar a reintrodução de alimentos gradual, descobrindo, assim, a quais exatamente o corpo tem sensibilidades e assim montar a dieta apropriada para  cada organismo. Tudo dentro dos moldes da Paleo, que por si só se prova ser a mais apropriada para todos os seres humanos, mesmo os que não tem intolerâncias ou doenças crônicas.

Não entrarei em detalhes sobre a explicação da dieta (lembrando que o termo “dieta” no caso não é um “regime”, não é um processo cíclico, mas sim uma mudança de hábitos alimentares permanente), mas no fim do post vou listar links informativos de textos e vídeos que podem explicar seus princípios melhor do que eu, assim como de pessoas mais confiáveis para tratar do assunto.

O que quero registrar aqui é o efeito que essa dieta teve em mim.
No dia 20 de outubro de 2013 eu fiz uma avaliação física completa com adipômetro e tudo mais, e além da medição de densidade corporal pelas medidas de dobras cutâneas, mantive um log de pesagens diárias e das medidas da balança eletrônica com bioimpedância 8 pontos. Durante 30 dias, mantive uma dieta rica em carnes, gorduras saturadas tanto de origem animal quanto de vegetal (mas somente as mais benéficas: azeite, óleo de coco, abacate), e pobre em carboidratos (média de 60g/carb por dia), mas recheada de muita salada, folhas frescas, frutas da estação e chá herbal. Eliminei todo o glúten, grãos, arroz, trigo, cereais, leguminosas, doces e açúcares. Evitei ao máximo qualquer alimento processado e industrializado, óleos vegetais extraídos de semente, soja e cafeína. Aprendi a cozinhar e fiz 95% dos meus lanches e refeições. Nisso, já estava dentro da dieta Paleo. Para enquadrar no Protocolo Auto-imune e ter certeza de eliminar todos os potenciais alimentos perigosos para um organismo sensibilizado, cortei também os ovos, as castanhas e sementes, e todos os vegetais da família das solanáceas (batata, tomate, beringela, pimentões, pimentas, e condimentos derivados).

Resultado depois dos 30 dias:

  • Atingi o peso que era minha meta desde 2007 e consegui entrar nas minhas calças favoritas! (Ano passado eu não conseguia.)
  • Queda de porcentagem de gordura corporal de 25% pra 20%paleonhac
  • – 3kg de gordura (80% da perda aconteceu na primeira semana de dieta!)
  • + 1,5 kg de massa magra
  • Não tive mais dores nos joelhos e ombros (sucesso pra quem sofria de tendinopatite por 5 anos!)
  • Minha disposição e humor estão melhores do que nunca.
  • Enchaquecas e dores de cabeça inexplicáveis que costumava ter foram embora completamente.
  • Meu metabolismo está acelerado o suficiente pra aguentar o frio do outono de Kyoto
  • Minha psoríase melhorou a ponto de estar quase invisível.
  • Minhas olheiras eternas também clarearam muito.
  • Tenho ouvido muito das pessoas que em geral minha aparência ficou muito melhor.
  • Não passo mais fome a cada 2 horas. Parece magia! Tenho fome duas vezes por dia, me sinto satisfeita e cheia no meio da refeição, a ponto de PARAR de comer e guardar pra terminar mais tarde. (A última vez que consegui fazer isso foi quando eu era bem criança)
  • Finalmente posso me concentrar nas coisas sem ficar pensando em qual vai ser meu próximo lanche.  Aliás, sinto que minha mente está muito mais clara e rápida, não fico dispersa com tanta facilidade.
  • A desintoxicação do açúcar fez meu paladar ficar muito mais abrangente. O que eu considerava ruim e amargo agora me agrada (como abacate, chocolate 85%> cacau, e até café sem açúcar!), e os doces e carboidratos refinados não me atraem mais. Reajo às propagandas de doces e batata frita do mesmo jeito que reajo à propaganda de cigarro. Sinto que não é pra mim, e pronto.

Claro que, como foram os primeiros 30 dias, eu diria que ainda estou no processo de adaptação à dieta, tanto fisiologicamente quanto em aprendizado. Tive alguns episódios de mal estar que foram regulados ajustando proporções de alimento. Estou testando receitas o tempo todo, adaptando, comprando coisas novas e ferramentas, ainda passo mais tempo que gostaria na cozinha. Mas em compensação tudo o que eu faço é natural, fresco, nutritivo e além de me satisfazer, (modéstia à parte), é delicioso!

Então, até agora, estou extremamente feliz com essa fase de mudanças. Ainda sinto falta de ovos e castanhas, e estou muito ansiosa para tentar reintroduzi-las na alimentação. Espero que ao menos os ovos sejam bem tolerados, pois a maior parte das receitas legais e adaptações paleo das receitas tradicionais tem ovos! Vou precisar de muita paciência, mas se tudo der certo vou sair da AIP e entrar pra Paleo tradicional. A única coisa que eu tenho certeza que não vai voltar nunca é a lactose. 

Pra quem quiser conhecer mais sobre a dieta, compilei alguns links e dicas de leitura nesse post.

E você, já tentou a dieta Paleo?

3 thoughts on “Minha experiência em 30 dias de Dieta Paleo [Pt]

  1. Ygor Amário says:

    Muito interessante sua experiência, sempre achei que dieta fosse algo muito “doloroso” afinal não deve ser fácil para de comer as coisas que gosta de um dia pra outro, quando li sobre a paleo vi que a relação que temos com o alimento pode nos fazer de certa forma “dependentes”, tem muita coisa que culturalmente nos é empurrado, coisas que nos fazem muito mal e que acaba a longo prazo se somatizando com problemas de saúde, o desemparelhamento com alimentos pouco saudáveis é uma maneira de trazer de volta uma homeostase que deveria existir do corpo e mente, achei interessante seus resultados, você disse que tá se sentindo mais feliz, sinal de que o poder da deita pode transcender pro bem estar psíquico também.

  2. Maria Lucia Silvestre says:

    Oi,
    meu filho (Adriano) me falou de vc e da dieta paleo. Fiquei muito interessada e acho que vou e experimentar. Seus resultados me animaram. Tenho psoríase também e asma, além de intolerância a lactose e a rafinose. Ou seja, vivo me sentindo mal.
    Obrigada pelo relato.
    abs
    Malu

    1. Ukiyou says:

      Oi Malu! Fico feliz em poder ajudar. 🙂 Agora que estou chegando no 3o mês de Paleo, posso dizer que minha psoríase praticamente desapareceu. A Paleo AIP me ajudou muito mais do que eu poderia imaginar. Os resultados podem até demorar mas aparecem. Se você já lida com intolerâncias, imagino que seja mais fácil de controlar a alimentação pois você já sabe como a comida pode afetar seu corpo. Se quiser ser sistemática, tente manter um diário do que consome e de como se sente e avalie em detalhes o que cada coisa te causa. Ao menos as referências paleo podem ajudar a delinear os alimentos que tendem a causar mais problemas, pra poder eliminar e depois testar de novo se o corpo tolera ou não. Boa sorte e melhoras!

Comente:

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s